Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

Páginas

terça-feira, 16 de agosto de 2011

À Margem da Vida

The Mino Times – Todos os sábados no Caderno 3 do Diário do Nordeste.


terça-feira, 9 de agosto de 2011

QUERIDOS AMIGOS!!

Ter amigos que pensam o que escrever na sua lápide enquanto você ainda está vivo.

#NÃO TEM PREÇO!

Cortesia dos meus queridos amigos: Nani e Al Duarte. Vocês fazem minha vida muito mais alegre.


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O Reino e uma Única Familia

Quem já leu algumas vezes os evangelhos, conhece as passagens clássicas da família de Jesus reivindicando seu direito de atenção ao membro Jesus. Estando ele a falar com a multidão chega sua mãe e irmãos e pedem que lhe chamem, interessante e surpreendente é sua resposta:

- Eis aqui minha mãe e meus irmãos.

Já ouvi um muitas falas sobre essa passagem. É impossível não perceber o que Jesus disse, dizendo para sua família. Ele não os maltratou, e não fez pouco caso deles, mas, estabeleceu um rompimento até então impossível de ser compreendido, vivido e até mesmo aceito. Ele deixou claro que não era monopólio, que não pertencia a grupos sejam eles quais forem, inclusive o grupo familiar fechado e exclusivo, que, não sei se inocentemente ou não a família dele quis estabelecer, até porque isso é comum no tocante ao convívio e expressões familiares.

O que percebo e entendo sobre aquele momento é que não é possível viver e compartilhar o reino enquanto me sinto e vivo como integrante fechado e privado de qualquer grupo que seja até mesmo da família. Jesus não era exclusividade e quis que sua família entendesse que eles eram iguais aos demais. Porém, isso é muito complicado e difícil, a todo instante somos reivindicados por grupos e sofremos pressões e cobranças, creio que mais expressivamente na família talvez por ser o nosso maior e mais considerado vínculo de relacionamento e responsabilidade.

Não sei se maior parte das pessoas consegue considerar outras pessoas como importantes e fundamentais tão quanto à própria família, só posso dizer que é muito duro não se permitir monopolizar. Esses dias tive problemas por que fui chamado de pai por alguém que me considera e respeita com tal, e pergunto? A que ponto chegou o controle de vidas, queremos estabelecer e impor como as pessoas devem amar e respeitar umas as outras, porém, não vemos essa cobrança quanto a falta de respeito e anulação do direito do outro de ser, mas, há uma imposição quanto ao que não se deva fazer no que diz respeito a amar, aceitar, acolher, receber e ter como participante do mesmo vínculo familiar.

Afinal, quem deveria ser considerado como irmãos, mãe, pai e família? É o laço genético maior que o amor, respeito, amizade, admiração, valor pela vida. Se fosse, não teríamos filhos genéticos matando pais, pais matando filhos, pais abandonando filhos, filhos abandonado pais, irmãos traindo e conduzindo a morte seu próprio sangue, mães parindo a boca das lixeiras. É fato, é isso que somos, irreconciliáveis, sem afeto, sem amor. Mas, com uma capacidade fantástica de sermos afetados pelo amor que emana do céu, do Pai, de Cristo.

Considerar alguém como parte nossa transcendendo as barreiras da genética, dos grupos, do sentimento elitista e mesquinho de pertencimento, a isso chamo conversão, a isso chamo viver, pois todo aquele que considera a si filho de um único Pai, deve considerar-se como irmão de todos.

O chamado para participar do reino implica nessa aceitação, nessa anulação de pertencimento sem deixar de pertencer, absorvendo outros não como estranhos e sim, como partes diferentes e indispensáveis de si mesmo. Lembrando que se importa obedecer a Jesus eu devo considerar que: “Assim nós, que somos muitos, [somos um só corpo] em Cristo, mas individualmente [somos membros uns dos outros]”; Amai-vos cordialmente [uns aos outros com amor fraternal], preferindo-vos em honra uns aos outros”.

Que nossa oração e vida prática seja “para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti” nisso expressa-se a vontade de Deus. Que a minha vida seja desejando que onde esteja Jesus eu esteja com meus irmão do mundo todo independente do que sejam, pensem ou confessem. Assim todos verão, virão e crerão, pois “Ele deu-nos a glória que a Ele foi dada, para que sejamos um, como Ele e o Pai são um.

A única nova criatura que passa a existir em Cristo é aquela que começa e considerar que Nele, não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo, livre, membro privado de família, partido, grupo religioso...

E novamente fez a pergunta:

- Quem é minha mãe e meus irmãos?

E, olhando para o mundo todo os amando disse: - Eis aqui minha mãe e meus irmãos e toda a família de meu Pai.

Pois, Cristo é tudo em todos.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Luzes e Sombras


Que farei nesses dias de sombras iluminadas

O que me reservam os dias que não marco nas folhas do calendário

Não consigo, não quero e não discirno os dias e o passar do do tempo

Do que me aproveito nesses dias de sombras iluminadas

As coisas se repetem em sucessões frenéticas

Já não suporto essas continuas diárias

Sei que é um sentimento passageiro

Mas sua presença me entedia até a morte

Morte, que morte?

O que é a vida nesse emaranhado de mistérios

Nada me arrebata a alma

Nada me encaminha para o comum do ser

Quando me percebo assim

Sinto o desejo de não existir

O que realmente me vale comc resistência a esse sentir

É o que já não tenho

O riso ontem voltando para casa com os amigos no ônibus

O riso ontem com minha esposa diante da tv

Porém, hoje sobrou me uma luz na sombra que me encobre

Beijei meu filho antes de partir

Recebi um beijo dele

Por hoje e nesse instante é minha única luz nesse caleidoscópio

De luzes e sombras

SEM ANOS DE SOLIDÃO

The Mino Times – Todos os sábados no Caderno 3 do Diário do Nordeste.